Lactobacilos vivos: o que são e quais os benefícios?

Muito se ouve falar a respeito dos lactobacilos vivos e da sua importância para a saúde, mas, afinal, o que são lactobacilos vivos? Lactobacilos vivos são bactérias que auxiliam no funcionamento do sistema digestivo. Além disso, os lactobacilos vivos também atuam na manutenção e proteção das vilosidades (dobras) do intestino. Sendo assim, os lactobacilos vivos são considerados bactérias do bem, afinal, bactérias no nosso organismo nem sempre são sinal de doença, como bem explica o artigo da revista Superinteressante:

“Cada milímetro quadrado de um intestino saudável deve ter cerca de 10 bilhões de micro-organismos vivendo nele para funcionar corretamente. Essa é a chamada flora intestinal, que, em muitos casos tem seu número reduzido, seja por alguma enfermidade ou uso de antibióticos. As bactérias do gênero lactobacillus não são as mais numerosas e têm uma grande vantagem: podem ser ingeridas e ainda chegar vivas ao intestino, atravessando sem problemas o estômago, um ambiente ácido no qual a maioria dos micro-organismos não sobrevive. Uma vez no intestino, esses seres se reproduzem com rapidez e criam um ambiente propício para que outras bactérias benignas possam se estabelecer ali.

o que são lactobacilos vivos

Nesse artigo, vamos ver qual o melhor jeito de consumir lactobacilos vivos; qual a importância dos lactobacilos vivos para a saúde; quais os benefícios dos lactobacilos vivos e para que servem os lactobacilos vivos; onde são encontrados os lactobacilos vivos e como cuidar de lactobacilos vivos. Veremos, também, o tópico “Lactobacilos vivos: principais indicações e contraindicações”.

Para entender o que são os lactobacilos vivos e como eles funcionam mais profundamente, clique aqui e leia o artigo escrito pelo Tua Saúde.

Lactobacilos vivos: qual o melhor jeito de consumir?

Os lactobacilos vivos são probióticos. Existem diversos alimentos que são ricos em lactobacilos vivos. Mas, qual o melhor jeito de consumir lactobacilos vivos? Quais os benefícios? Os lactobacilos vivos podem ser encontrados no leite que acabou de sair da vaca, por exemplo, mas não estão presentes no leite pasteurizado que encontramos à venda.

Os produtos comercializados que contêm lactobacilos vivos são o iogurte e aqueles que são chamados, justamente, de alimentos probióticos, que estão destinados a ajudar o sistema digestivo a funcionar melhor por meio da introdução de microorganismos.

Veja na lista abaixo 5 alimentos que são ricos em lactobacilos vivos e que podem ser uma opção para consumo se sua ideia for aumentar o número de lactobacilos vivos em seu organismo. Confira:

1 – Azeitona Verde

azeitona lactobacilos vivos

Sim! A azeitona verde é um rico alimento em probióticos. Sendo muito usada em diversos pratos da culinária brasileira e consumido até de maneira individual, a azeitona verde é preparada em salmoura. A azeitona verde passa por um processo de fermentação natural, deixando-a rica em lactobacilos vivos. 

2 – Queijo cottage

queijo cottage lactobacilos vivos

Não é novidade que os queijos contêm fungos em sua composição. E, queijo cottage, além de ser rico em cálcio, o que traz o fortalecimento de ossos e dentes, ele também é rico em probióticos. Sendo um grande alimento que auxilia no processo digestivo. Mas, atente-se ao consumo exagerado. O queijo cottage carrega uma alta quantidade de gordura e também sódio. Consumido em alta quantidade, pode ser prejudicial à saúde.

3 – Chucrute

chucrute lactobacilos vivos

O chucrute se assemelha muito a um repolho e é consumido após um processo de conserva. Esse processo de conserva traz para ele, assim como para a azeitona, uma fermentação natural. Isso faz com que o chucrute seja rico em lactobacilos vivos.

4 – Picles

picles lactobacilos vivos

Assim como a azeitona e a chucrute, os picles também passam por uma fermentação natural em seu processo de conserva, o que faz com que ele se torne rico em lactobacilos vivos. Mas é importante destacar que nem todo vegetal em conserva carrega a presença de lactobacilos vivos. Sendo esses mencionados uma exceção.

5 – Missô

missô lactobacilos vivos

O missô não é muito popular no Brasil, mas é uma sopa japonesa que carrega forte presença de lactobacilos vivos. Isso por quê ela é feita a partir da fermentação da soja.

Além desses citados, também existem aqueles probióticos manipulados por grandes indústrias farmacêuticas e alimentícias, como é o caso do leite fermentado e rico em lactobacilos vivos.  

Lactobacilos vivos: Qual a importância para a saúde, quais os benefícios e para que serve?

Os lactobacilos vivos apresentam várias vantagens para o corpo humano. Quer saber quais os benefícios? Em matéria do portal Mega Curioso é possível ler sobre qual a importância para a saúde e para que servem oa lactobacilos vivos. Confira:

saúde lactobacilos vivos

Lactobacilos vivos ajudam na redução do colesterol: Altos níveis de colesterol ruim (LDL) estão associados a riscos para doenças cardíacas. Há estudos que sugerem que alguns probióticos podem auxiliar na diminuição destes níveis. O mais eficiente entre eles é o L. acidophilus.

Lactobacilos vivos auxiliam na imunidade: Os probióticos tendem a “turbinar” nosso sistema de defesa. O efeito é mais ou menos o seguinte: quando estas bactérias do bem chegam até o intestino, as células de defesa ficam em prontidão para atacar, pois não identificam imediatamente se o que está chegando é benéfico ou maléfico ao corpo. Isso fortalece nosso sistema imunológico.

Lactobacilos vivos aliviam os sintomas da síndrome do intestino irritável: A síndrome do intestino irritável (SII) é um problema que afeta muitas pessoas. Os sintomas costumam ser dor abdominal, inchaço e movimentos intestinais incomuns. Não se sabe exatamente o que causa a SII, mas há indícios que de que ela possa ser causada por algumas bactérias intestinais. Alguns estudos examinaram os efeitos dos probióticos na melhora destes sintomas. Uma pesquisa envolvendo 60 pessoas com SII acompanhou as consequências da ingestão de L. acidophilus e verificou a diminuição do inchaço depois de um período de dois meses, além do alívio da dor abdominal.

Lactobacilos vivos ajudam no tratamento da obesidade: Já se sabe que a microbiota de um indivíduo obeso costuma ser diferente da de uma pessoa de peso saudável. Estudos mostraram que o lactobacilo Akkermansia muciniphila costuma aparecer no intestino de pessoas mais magras. Os efeitos que os probióticos causam se localizam especificamente na microbiota intestinal (que antigamente era chamada de flora intestinal). O que eles fazem, portanto, é alterar este ambiente. O melhor funcionamento do intestino favorece o efeito de desinchar e, também, ajuda a combater a obesidade.

Lactobacilos vivos podem melhorar a aparência da pele: Melhorar a saúde intestinal é um dos caminhos mais garantidos para incrementar a saúde da pele. Um intestino regulado faz com que toxinas sejam eliminadas e a pele fique mais hidratada e viçosa. Os lactobacilos vivos podem ter uma grande participação neste objetivo.

Lactobacilos vivos: onde são encontrados? Como cuidar?

onde encontrar lactobacilos vivos

Onde são encontrados e como cuidar de lactobacilos vivos são dúvidas comuns. Um exemplo de alimento rico em lactobacilos vivos é o kefir. O Globo trouxe um artigo com dicas sobre o que é kefir e como cuidar desses lactobacilos vivos. Confira trecho da reportagem abaixo: 

“Kefir é um alimento probiótico de origem milenar que auxilia no funcionamento da flora intestinal e pode ser um aliado de quem sofre com problemas como constipações e até para quem quer emagrecer. Mas o que é probiótico? Isso significa que o kefir está vivo? Sim. Os grãos de kefir são uma colônia de microrganismos, especialmente bactérias e leveduras, que promovem a fermentação de bebidas e ajudam a regular o intestino. A bebida fermentada produzida a partir do cultivo dos grãos em um substrato líquido pode ser consumida de diversas formas. É importante destacar que há dois tipos: o chamado kefir de leite, usado com leite e leite vegetal, um probiótico que favorece a produção de iogurtes e queijos. E o chamado kefir de água, usado em água ou chá, criando uma bebida gasosa fermentada, semelhante à kombucha, mas com suas próprias particularidades”.

A matéria também traz orientações gerais para os cuidados do kefir no leite ou na água:

  • Utilize recipientes de vidro bem limpos, se possível fervidos;
  • Cubra o pote com pano e prenda com um elástico, como se faz ao preparar kombucha. Durante a fermentação haverá a expansão de gás carbônico, por isso o pote não pode estar com tampa;
  • Não utilize utensílios de alumínio ou ferro em qualquer que seja a etapa;
  • Concluído o processo, para consumir o kefir, passe a mistura em uma peneira para separar os grãos do líquido probiótico, que é a parte a ser consumida;
  • Conserve a bebida na geladeira e consuma em até dois dias;
  • Reserve os grãos de kefir em um recipiente de vidro e reinicie o processo;
  • Não utilize os grãos de kefir que estejam verdes, amarelados ou marrons. Isso indica que não estão mais apropriados para o consumo.

Lactobacilos vivos: principais indicações e contraindicações

indicações e contraindicações lactobacilos vivos

Quais são as principais indicações e contraindicações no uso de lactobacilos vivos? Os lactobacilos vivos são indicados especialmente para o melhor funcionamento do intestino e para a proteção da flora intestinal. Os lactobacilos vivos também são um aliado importante do sistema digestivo e contribuem para o aumento de imunidade.

Entretanto, especialistas alertam sobre os perigos da autoindicação do consumo de probióticos sem a consulta com um profissional. Isso, pois existe uma lista extensa de probióticos e nem todos foram estudados a fundo para que seu uso seja recomendado. Como os lactobacilos vivos atuam em partes importantes do corpo como o aparelho digestivo e o estômago, o consumo de probióticos desconhecidos pode ser perigoso sem a indicação de um profissional especializado.

A editoria de saúde do UOL, preparou um material especial explicando vários desses aspectos.  

LEIA MAIS: O que é probiótico para diarreia, qual o melhor e quem pode tomar?

Lactobacilos vivos: onde são encontrados os probióticos?

lactobacilos vivos probioticos

Entre os suplementos indicados para a manutenção da flora intestinal está o Simcaps. São cápsulas que proporcionam diversas ações na saúde do intestino, auxiliando no equilíbrio da microbiota intestinal.

Sua fórmula possui Frutooligossacarídeos (FOS), Lactobacillus acidophilus e Bífidobacterum lactis, importantes para o bom funcionamento do intestino.

Ele é resistente ao pH do estômago, assim como todas as bactérias ácido-láticas probióticas, e ainda atua para:

  • Contribuição do controle da diarreia e alívio da prisão de ventre;
  • Melhor digestão da lactose (açúcar do leite) em pessoas intolerantes;
  • Absorção de minerais e a produção de vitaminas;
  • Controle e prevenção de infecções do trato urinário;
  • Controle do colesterol sanguíneo.

Outra opção é o Simfort, que é uma combinação de probióticos benéficos ao organismo que também contribuem para a saúde e equilíbrio da flora intestinal. São 5 espécies de micro-organismos vivos: 

  1. Lactobacillus acidophilus;
  2. Lactobacillus casei;
  3. Lactobacillus lactis;
  4. Bifidobacterium lactis;
  5. Bifidobacterium bifidum.

Esses micro-organismos ajudam no controle de diarreia, assim como no alívio da constipação intestinal. Além disso, também atuam na prevenção de infecções do trato urinário e ajudam a controlar o colesterol.

Devido ao favorecimento de bactérias necessárias para o equilíbrio do intestino, o produto ajuda a fortalecer o sistema imunológico. Os ativos da fórmula ainda são capazes de reduzir o pH intestinal e ajudar na absorção de minerais, incluindo o cálcio, que diminui o risco de osteoporose.

Para saber mais sobre probióticos e lactobacilos vivos, clique no link.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram